Sobre ser artista e educadora


Sempre soube que seria artista. Não sei explicar muito bem! Mas eu tinha certeza! E meus pais sempre me incentivaram. Quando criança gostava de escrever, depois achei que seria modelo por ser muito alta, mas não me achava bonita o suficiente. Enfim, cresci em um lar com muitos livros e um grande quintal. Aprendi gostar de ler vendo os adultos ao meu redor lendo. Aprendi a gostar de artes manuais vendo meu pai - que era marceneiro - trabalhando e meu avô materno - que era mecânico - abrindo motores e por fim aprendi a cozinhar vendo minha mãe fazer comida.


Cresci e a vida me levou para dentro da sala de aula. Enfrentei muito preconceito na universidade que estudava por que segundo alguns professores ser professora de artes era pouco. Artista não pode ser professor, deve ficar em seu ateliê e viver de exposição em exposição.


Pois bem, eu consegui extrapolar um pouco e juntar os dois. Atualmente dou aula para a educação infantil em duas escolas, e em um projeto social, dou aula de aquarela em meu ateliê para adultos e produzo meus trabalhos e sempre que posso participo de exposições.

E há tempos tenho pensado em quando resolvemos separar a arte da educação e desde quando ser artista não é uma profissão.


As vezes penso que só sou educadora por que sou artista e vice-versa. Confesso que as vezes me perco dentro da sala por não saber muito de termos da pedagogia ou até como lidar com situações especificas de fases da infância.


No entanto tento ao máximo apresentar e proporcionar aos meus educandos e educandas possibilidades de viver e experimentar o fazer artístico. Ainda esbarro em situações que me deslocam como quando a direção da escola barra determinados assuntos, determinadas visitas a exposições por que pode não parecer relevante para a escola. Ou quando proponho para as crianças apenas vivenciarem o processo sem necessidade de um produto final, ou de um resultado imediato. E de quando sou excluída de assuntos pertinentes ao desenvolvimento das crianças, uma vez que sou "apenas" a professora de artes.


As vezes me culpo e penso em parar de dar aula e focar na minha produção, mas desisto por que dar aula pra mim é algo que me faz bem e que está aliado ao meu proposito de vida.


(continua...)



0 visualização